Valéria Vilela
Jornalista e Ballaieira
A VISÃO DA SUINOCULTURA NORTE AMERICANA
A reaproximação dos russos com o Brasil é importante,com o rompimento das comercializações com o Eua, temos a oportunidade de aprender com o mercado americano para fortalecera  a parceria com o mercado russo.
Valdomiro Ferreira Junior, presidente da Associação Paulista de Criadores de Suínos do Estado de São Paulo (APCS)  falou da oferta menor do que a demanda, devido a uma falta de suínos no mercado e um consumo levemente aquecido, além da demanda do mercado externo e dos altos preços internacionais, refletem neste momento no qual os suinocultores estão conseguindo atingir altos preços.
O efeito russo também se faz relevante, uma vez que, além de se preparar para abastecer o mercado externo, o Brasil deve realizar estocagem para fornecer carne ao mercado interno no final do ano.
A reaproximação dos russos com o Brasil é importante, segundo Francisco Turra, presidente-executivo da Abpa (Associação Brasileira de Proteínas Animal).Os russos conseguem produzir apenas 60% da carne suína consumida e também são dependentes de carnes bovina e de frango.
Embora a Rússia venha buscando a autonomia nesse setor de proteínas, ainda é obrigada a buscar parte da carne consumida na Europa, nos Estados Unidos, no Canadá e no Brasil, entre outros países.
Um dos grandes problemas atuais para os russos é a diarreia suína, uma doença que afeta a produção dos Estados Unidos, do Canadá e do México. Além disso, a animosidade dos russos com os europeus, devido à Ucrânia, dificulta as negociações
A Bolsa de Suínos de São Paulo fechou a R$82/@ (R$4,37/kg) a arroba na última segunda-feira. Segundo o presidente, a próxima Bolsa deverá seguir uma tendência animadora para os suinocultores paulistas. E ressaltou a importância dos  suinocultores participarem de congressos e eventos.
Por este motivo, José Henrique Piva, com experiência em mais de 270 palestras ministradas em cinco continentes diferentes, irá apresentar na PorkExpo 2014 a “Visão da Suinocultura Norte Americana”, focando no modelo de negócios, custos, estruturas das granjas, desafios e oportunidades. Para o o gerente de desenvolvimento de produtos da Ipacol, Carlos A. Antoniolli, pioneira em equipamentos para biofertilizantes a suinocultura ve no momento uma oportunidade de novos negócios,  para isso disponibiliza uma equipe de técnicos, que orientam e apóiam os revendedores, e demonstradores que realizam dinâmicas, colocando em operação prática os equipamentos produzidos, conforme as necessidades do produtor.
Uma das principais características estruturais da suinocultura norte-americana é a crescente concentração da produção. Atualmente os Estados Unidos são o terceiro maior produtor, com um rebanho de cerca de 60 milhões de animais, ficando atrás apenas da China e União Europeia; e o terceiro maior exportador, seguindo a Dinamarca e o Canadá.
A PorkExpo 2014 e VII Congresso Internacional de Suinocultura acontece do dia 28 a 30 de outubro em Foz do Iguaçu (PR) e conta com a participação de mais de 80 empresas do setor, entre elas Bayer, DB Genética Suína, MSD, Ourofino, Alltech, Novagri, Novartis, SUIN, Sanphar, Nutreco, Weda, Choice Genetics e muitas outras.
Haverá ainda, durante o Congresso Técnico, 23 palestras com grandes nomes do setor, nacionais e internacionais, abordando temas de Reprodução, Nutrição, Produção, Manejo e Sanidade.
 
Por Valeria Vilela com informações de Abpa e APCS
 
Desenvolvido por DEC WebSites