Ismael Souza
Aposentado e Ballaieiro
UMA GUAXUPEANA QUE FAZ A DIFERENÇA
Seu nome, Neide Pereira dos Reis, mãe de seis filhos, e com 60 anos.
Tudo começou quando uma pessoa da família adoeceu e ela fez uma promessa que faria uma festa no seu bairro durante sete anos, no dia 26 de setembro, dia Cosme e Damião, caso a pessoa se curasse. E quis os desígnios de Deus que a pessoa se curou e então a Dona Neide começou a colocar em prática a sua promessa.

Realizou a festa durante os sete anos e parece que pegou gosto em ajudar ao próximo e continuou a festa. Lá se vão 36 anos que ela realiza a festa. Tudo é preparado em sua própria residência.
Nesta festa são servidos cachorros-quentes, bolos, doces, salgados , sorvetes e refrigerantes, para aproximadamente 1.000 pessoas, dentre as quais centenas de crianças. A festa geralmente começa às 14 horas e se prolonga até por volta das 18 horas. Logicamente que o número de pessoas foi crescendo com o decorrer do tempo.

Não contente, essa extraordinária mulher, começou também a realizar o ALMOÇO FRATERNO DA PÁSCOA, também em sua própria casa onde participam aproximadamente 1.000 pessoas. Este almoço já é realizado há 23 anos. Além do almoço são também servidos refrigerantes e sobremesa. A festa acontece entre as 11 horas e 16 horas.

Não contente ainda, durante vinte anos ela fez uma sopa, também na sua residência, que era distribuída a aproximadamente oitenta pessoas, todos os dias, de segunda a domingo. Nos últimos cinco anos ela começou a fazer somente aos domingos para aproximadamente trinta pessoas. Ela alega que as pessoas melhoraram de vida e que em função de problemas de saúde, ela teve que ter mais cautela em relação ao seu condicionamento físico. Fico imaginando, ela não tinha descanso, já pensaram, durante vinte anos fazer uma sopa na sua própria casa para oferecer a oitenta pessoas?

Todos os ingredientes são gentilmente doados pela população de Guaxupé. Muitos levam até a sua casa e quando necessário ela vai buscar nas residências ou nos estabelecimentos. Como o número de participante foi crescendo com o tempo, claro que atualmente ela conta com a ajuda de várias colaboradoras e de sua família.

As festas tornaram-se populares no bairro, tanto é que várias pessoas a ajudam a abrilhantar o evento, com mágicas, serviço de som, barracas, danças, brincadeiras e maquiagens com as crianças, etc.

Vendo crianças circulando pela rua sem nenhuma atividade, ela aprendeu a trabalhar com materiais reciclados e a fazer cestas em geral e começou a ensinar as crianças. Ela fez isto durante uns seis meses e atualmente esta atividade foi paralisada por falta de alunos. Mais ela continua fazendo as cestas que geralmente são oferecidas às pessoas, em retribuição a ajuda que ela recebe com a doação dos alimentos.

No ano passado ela foi agraciada pela Câmara Municipal de Guaxupé, com o título de cidadã Guaxupeana, por indicação do vereador João Fernando de Souza, em razão do trabalho que ela realiza junto a comunidade do seu bairro.

Sem dúvida alguma a Dona Neide é uma Guaxupeana que faz a diferença. Precisamos de mais Donas Neides no planeta para que possamos aprender a fazer a diferença. 
Se você gostou da história da Dona Neide, contada de uma forma bem resumida, faça seu comentário e compartilhe esta ideia.
Confira a galeria de fotos!
Desenvolvido por DEC WebSites