Sílvio Reis
Jornalista e Ballaieiro
Henry Vitor vai expor Cantos no aniversário de Guaxupé
“Cantos do meu Canto” é o título da exposição do artista plástico Henry Vitor para comemorar os 105 anos de Guaxupé. Especialmente para esta data comemorativa foram produzidos novos quadros, que vão se somar a outros recentes. A vernissage será na noite de 1º de junho, no Teatro Municipal, e a Mostra vai até o dia 08, das 10 às 20h. 
Mesmo sendo guaxupeano e com 50 anos de carreira, é a quinta vez que Henry Vitor expõe em sua cidade natal. A primeira foi no Clube Guaxupé, seguida de uma Mostra na sede da Cooxupé. Em 2005, a exposição de Henry inaugurou o espaço cultural do Teatro Municipal. No ano passado, ele participou do aniversário do município como homenageado. Recebeu a comenda Dr. Juquita pela divulgação de Guaxupé no Brasil e no exterior. Henry já expôs em 13 países, principalmente na Europa.
O convite para expor em 2017 coincidiu com a participação, simultânea, na
13ª Bienal Naif do Brasil e da mostra Evidências, em São Paulo, que começou em 20 de abril e se encerra em 02 de julho. Ele foi um dos 86 artistas selecionados no país. Nesta época, ele ainda tem compromissos de trabalhos com a multinacional Agroceres, que novamente o convidou para a produção de quadros personalizados.
Em outras terras, a filosofia de trabalho é a mesma, conforme ele próprio define a sua obra naif: “Busco puro, o simples, a alegria do dia a dia, resgatando um tempo mais verde, onde era permitido ser livre e ser criança. Tento encontrar o homem e a paisagem, teimosamente encravados num canto qualquer da utopia. E para eles, invento um novo espaço, sem barreiras ou limites, onde tudo é possível, até mesmo a magia. A magia da cor, sobre tudo, a magia do amor."  
Magias da Cor       
Em “Cantos do meu Canto” poderá ter mais de vinte telas com temática rural e urbana. Dessa vez, a novidade para Guaxupé são os giclées: impressão fiel de uma obra de arte, em alta resolução. O tamanho é menor, mas tem duas vantagens: maior durabilidade e preço bem acessível. Um giclée custa, em média, entre 10 e 20% do valor de um original. Nos dois casos, o artista parcela a compra.
Graduado em Comunicação – Jornalismo e Publicidade - Henry trabalhou por 32 anos nessa área até se dedicar exclusivamente à pintura. A habilidade para escrever também pode ser vista, atualmente, nas suas exposições individuais, por meio de poemas. São textos com várias referências visuais. Em vez da magia da cor, são poemas coloridos e bem sonoros. “Cantos do meu canto” promete encantar os visitantes. 
Foto:
“Um poema colorido” resgata uma época com mais verde e mais azul 
Desenvolvido por DEC WebSites